top of page

CARF afasta tributação sobre permuta de imóveis

Direito Tributário - 09/03/21

Em decisão recente, a Câmara Superior do CARF (órgão que julga processos administrativos da Receita Federal em última instância) fixou o entendimento de que não incide IRPJ para empresas no Lucro Presumido quando ocorre uma permuta de bens imóveis.


Como se sabe, a permuta consiste numa forma especial de operação na qual um bem é transacionado diretamente com outro bem, podendo haver ou não o pagamento de um valor em dinheiro (conhecido como "torna") – sendo estratégia muito utilizada no mercado imobiliário para rapidamente circular empreendimentos.


O conselheiro Caio César Nader Quintella, representante dos contribuintes e redator do voto vencedor, argumentou que: "o próprio conceito de permuta, de existência milenar, exprime um negócio de troca, que na sua própria natureza depreende-se equivalência e neutralidade econômica".


No caso em questão, uma incorporadora imobiliária sofreu uma autuação em IRPJ referente aos exercícios de 2001 a 2003, pois o Fisco entendeu que a empresa estava sonegando informações ao deixar de escriturar a "venda" dos imóveis ; e que buscava fraudar o valor do imposto utilizando-se de contratos de valores abaixo do praticados.


Nas instâncias anteriores, prevaleceu a interpretação de que tais casos deveriam ser tributados em sua totalidade pois seriam partes que compõem o lucro bruto da empresa.


Entretanto, perante a Câmara Superior de Recursos Fiscais, triunfou o entendimento de que não há diferença de valor entre os bens permutados, e que, portanto, não há como se falar em receita operacional ou ganho de capital para a empresa.


Como consequência desse raciocínio, resta indevida a incidência de IRPJ, CSLL, PIS ou COFINS sobre os valores dos bens permutados.


Agora, consolidado esse novo entendimento, os julgamentos do CARF aproximam-se do precedente firmado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no Recurso Especial n. 1.733.560, no qual o Min. Herman Benjamin demonstrou a inexistência de comprovação de lucro das permutantes.


Por fim, é indispensável salientar que esse entendimento não se aplica a todos os casos de permuta, pois, por exemplo, nos casos de permuta com torna, de fato, ocorre transferência de receitas, e não apenas uma substituição de ativos, e, consoante posição pacífica da Receita Federal, é cabível a tributação sobre a parcela da torna.


O SFCS Advogados reforça o seu compromisso de atendimento e, para eventuais esclarecimentos, entre em contato diretamente conosco:


Daniel Maia de Barros e Silva


Frederico Feitosa Da Rosa


Leonardo da Costa Carvalho Coelho


Raquel Rocha Vieira


Maria Augusta Carneiro da Cunha Britto Alves


Caio Castro Vaz Bezerra



NOSSOS ESCRITÓRIOS


RECIFE

Rua Demócrito de Souza Filho, 335 | 11º andar

Madalena | Recife | PE | 50610-120

T: +55 81 3040 0035


SÃO PAULO

Rua da Paz, 1601, Conjunto 2.116 | 21º andar

Chácara Santo Antônio | São Paulo | SP | 04713-002

Tel.: +55 11 5181 4245

Comentários


bottom of page